Foto: Reprodução/ Solein
proteína do ar
Foto: Reprodução/ Solein

Solein, a proteína produzida a partir do ar

A foodtech finlandesa Solar Foods desenvolveu uma tecnologia que promete alimentar pessoas não só na Terra, mas também no espaço

Redação

em 1 de novembro de 2023


Muito além do programa espacial americano, um grupo pequeno de empreendedores começou a investigar a possibilidade da produção de alimentos a partir do ar. E não é que deu certo?! A finlandesa Solar Foods, uma foodtech, vem mostrando grandes avanços na pesquisa pela produção de proteína a partir do ar, ao invés dos métodos tradicionais para a produção de alimentos.

Recentemente, a Solar Foods anunciou o investimento de US$ 43 milhões para a ampliação da fábrica, que tem previsão de ficar pronta ainda no primeiro trimestre de 2024. A nova instalação está projetada para produzir, anualmente, 120 toneladas da proteína Solein. 

Solein utiliza tecnologia para produzir a proteína do ar

Foto: Reprodução/Site solarfoods

A Solein é uma espécie de pó amarelo obtido por meio da fermentação de precisão. Usando diversas ferramentas de biotecnologia, a equipe da Solar conseguiu transformar uma cepa da bactéria Xanthobacter em usina microscópica do nutriente.

Neste caso, de acordo com a equipe, os micróbios são alimentados da mesma forma que uma planta se alimenta. Com a diferença de que, ao invés de regá-lo e fertilizá-lo, a equipe usa eletricidade provinda de fontes renováveis e hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e carbono, capturados da própria atmosfera.

Composta por macronutrientes semelhantes ao da soja seca ou da alga, a Solein contém entre 65% a 70% de proteína, e de 5% a 8% de gorduras. Somente 3% a 5% de minerais, além dos nove aminoácidos essenciais para o organismo.

Em um comunicado oficial da empresa, a Solein declarou que não é uma empresa tradicional, mas que é natural. “E a melhor parte? Não vai acabar”. 

Com as mudanças climáticas em estado de alerta, essa acaba sendo uma notícia positiva. Pelo seu método de produção, a Solein tem uma pegada ecológica. De acordo com a própria empresa, esta pode ser uma alternativa viável de alimentação frente ao crescimento exponencial da população.

Um restaurante italiano já está usando o Solein em sorvetes de chocolate. O próximo passo da empresa é a liberação das autoridades regulatórias para levar a proteína de ar para os Estados Unidos e a Europa.