conforto térmico

Bem estar animal em baixas temperaturas exige o uso de tecnologia para aquecimento

Conheça algumas recomendações para garantir o conforto térmico para os animais, evitando perdas, como ocorreu recentemente no MS

Redação

em 21 de agosto de 2023


Neste inverno, as temperaturas estão sofrendo muitas variações, caindo bastante em algumas regiões brasileiras, como no Sul e Sudeste, o que pode trazer prejuízos para a criação animal. Recentemente ocorreram fortes ondas de frio em alguns estados e, de acordo com levantamento da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Mato Grosso do Sul (Iagro), mais de 2,7 mil cabeças de gado morreram no estado. Com isso, alguns setores da pecuária precisam ficar atentos às alterações na temperatura, buscando alternativas que evitem o sofrimento da criação em confinamento.

Um comunicado da Iagro orienta os produtores rurais em situações como essas. O material, elaborado com a Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação do estado, recomenda medidas para proteger e dar maior conforto térmico aos animais. 

Conforto térmico

A lista de recomendações envolve o recolhimento dos animais em piquetes/invernadas com capões de mata, que servirão de proteção contra os ventos gelados e as temperaturas a céu aberto; além de piquetes/invernadas com barreiras naturais ou artificiais, que sirvam para amenizar as correntes de ar geladas. 

Outras ações incluem evitar deixar os animais em invernadas localizadas ao longo de corpos de água; procurar abrigar os animais debilitados ou mais sensíveis em piquete ou curral próximos (para melhor suporte), além de cuidar da suplementação alimentar do rebanho, devido a danos nas pastagens, provocados pelas baixas temperaturas.

A tecnologia de aquecedores equipados com motores elétricos é outro recurso, segundo Drauzio Menezes, diretor da Hercules Motores Elétricos. Ele ressalta que é importante manter um ambiente controlado, com temperatura e umidade relativa, sem grandes variações, para o melhor conforto dos animais. 

No caso de dias frios, a recomendação do especialista é redobrar o aquecimento dos criadouros, pois é maior a necessidade energética para suprir a diferença entre a temperatura ideal para os animais e a temperatura ambiente externa. Segundo Menezes, aparelhos de aquecimento são equipados com motores de grau de proteção IP 44, IP  55 (IR3) e IP 21 monofásicos e trifásicos, normalmente especificados conforme os fabricantes.

Motores ideais envolvem equipamentos com boa dissipação de calor e resistentes a ambientes salinos e com presença de amônia. Componentes blindados, como os rolamentos, também são bem-vindos.   

Leia também:

Especialista indica como controlar o estresse térmico no gado